Durante a eleição presidencial de 2008, Barack Obama mostrou a força da internet ao arrecadar capital e acumular votos enviando mensagens com o slogan “Yes, We Can” via e-mail e redes sociais. O sucesso da campanha de Obama deixou claro que o futuro das campanhas políticas está reservado à força da comunicação por meio das ferramentas de marketing digital.

No Brasil, as duas últimas eleições mostraram que a influência da internet ainda é baixa, mas essa realidade está mudando. Recentemente, a presidente Dilma Rousseff atingiu mais de 700 mil acessos em sua página do Facebook ao se dispor a esclarecer questões referentes à Petrobrás. Mostraremos neste artigo toda a importância do e-mail para sua campanha política. Confira!

Entrando na “casa” do eleitor

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE, o número de brasileiros acessando diariamente a internet chega aos 83 milhões de usuários e ultrapassa os 100 milhões com acesso irregular (frequentadores de lan house). Hoje em dia, esse meio de comunicação é tão importante para a campanha quanto televisão e rádio, e dentre as ferramentas disponíveis, o e-mail é a melhor arma.

Quando falamos da força da internet, remete-se logo ao enorme número de usuários do Facebook. No entanto, o número de contas de e-mail é muito superior. Assim, fica claro que o e-mail é fundamental para que o candidato atinja as massas e divulgue as suas propostas.

Candidatos para cargos Legislativos

Durante as últimas eleições no Brasil, os eleitores foram bombardeados por candidatos lutando a todo custo por cadeiras nas Prefeituras e Câmaras. As campanhas se resumiam a trinta segundos de espaço nos meios de comunicação para falar o seu nome, número da legenda e algum comentário rápido, com uma frase de efeito para tentar se avivar na memória do eleitor.

A internet veio para decretar o fim dessa fase de campanhas políticas cansativas e repetitivas. E para isso, a ferramenta mais eficiente é o e-mail. Com o ele, o candidato poderá convidar o eleitor a visitar a sua página e conhecer os seus projetos.

O e-mail é uma ferramenta muito prática para disseminar as ideias da campanha do candidato e chamar a atenção do eleitor. O assunto do e-mail deve conter uma frase de efeito e que seja importante para o projeto, sempre contendo o nome e o número do candidato. Dessa forma, a campanha terá alcance mesmo que o eleitor não abra o e-mail. A mesma lógica serve para candidatos “nanicos” e que possuem pouco tempo de rádio e TV, independente do cargo a que competem.

Interação com milhões de eleitores todos os dias

Um pacote de e-mail marketing pode disparar de 700 mil a mais de 10 milhões de e-mails por dia em um único “disparo”. Também pode ser feito deparadamente, para pessoas  devidamente selecionadas de acordo com o seu perfil, em diferentes horários do dia.

Com isso, o eleitor não consegue “fugir” ou se abster da propaganda política, deixando a escolha dos candidatos para a hora da eleição; o que resulta em voto aleatório sem fundamento algum ou em voto branco ou nulo. Tais opções não interessam ao candidato. A campanha deve interagir com as pessoas e convencê-las de que votar em determinado candidato é a melhor opção. Mesmo se esse objetivo não for alcançado, a estratégia pode conseguir deixar o nome na memória do eleitor que planeja escolher o seu candidato em cima da hora.

Essa é uma das ferramentas do marketing. Fixar a marca no consumidor para que a sua lembrança seja imediata na hora da necessidade.

Candidato, você já pensou em utiizar o e-mail como uma das bases de sustentação de sua campanha no próximo mês de outubro? Compartilhe a sua experiência e utilize essas importantes funções para alcançar o sucesso nas eleições.


João Paulo Pereira
João Paulo Pereira

Fundador da Agência Digital FliP, Co-Fundador da Go Up! Estratégias Digitais, Fundador do Treinamento Funil de Vendas Imparável, Consultor em Marketing Digital e Funil de Vendas! Simples e que acabou de cumprir a meta de mochilão pela Europa! :)